Os Bilhões Perdidos no Lixo

Ao mesmo tempo em que cresce o volume de lixo produzido, resultante do aumento do consumo, são cada vez mais caras, mais raras e mais distantes as alternativas tradicionais disponíveis para sua disposição final.

   As prefeituras mal conseguem arcar com os imensos custos envolvidos e a poluição ambiental não para de crescer.

   A Reciclagem do lixo, para muitos, viria apenas agravar a já precária situação econômica das Prefeituras. Para outros, representa forma ambientalmente saudável  de resgate de imensa riqueza.​

Os Bilhões Perdidos no Lixo

Mas, afinal, a reciclagem do lixo é ou não economicamente viável? Viável para quem? Em que medida?

   Este livro procura responder a tais questões, tomando como objeto o município de São Paulo e o Brasil, em uma abordagem interdisciplinar que contempla, sobretudo, aspectos ligados à ciência ambiental, à geografia, à economia e à ciência política, São focalizados os seguintes materiais recicláveis presentes no lixo domiciliar: lata de alumínio, vidro, papel, plástico e lata de aço.

   Os resultados do amplo levantamento empírico conduzido, para aplicação da abordagem teórico-metodológica proposta, apontam para um imenso desperdício: são perdidos bilhões de dólares, todos os anos, pela não reciclagem do lixo no município de São Paulo e no Brasil como um todo.

   A atividade de reciclagem do lixo chega a movimentar recursos da ordem de uma centena de bilhões de dólares nos Estados Unidos, na Europa e no Japão. No Brasil, também é da ordem de bilhões de dólares a magnitude dos interesses econômicos envolvidos na questão da reciclagem, como neste livro se procura demonstrar.

   Órgãos de governo, empresas privadas e atores sociais, de diferentes orientações, interesses e filiações, travam polêmica acalorada sobre a questão da reciclagem do lixo.

   Contudo, o estudo dos aspectos econômicos envolvidos carece ainda de um aprofundamento compatível com a magnitude do esforço social e do interesse privado em jogo. O fato é que a questão da viabilidade econômica da reciclagem do lixo vem sendo negligenciada nos estudos até agora desenvolvidos. Isto dificulta sua compreensão em termos mais amplos, não permitindo distinguir, contextualizadamente, os interesses de cada um dos agentes, em particular, nem o interesse da sociedade como um todo.

   Entretanto, não é suficiente destacar a elevada importância econômica, ambiental, espacial e social do tema. É essencial também ampliar o ponto de vista da análise. O presente trabalho busca precisamente propor uma abordagem integradora das várias visões parciais que se apresentam na arena dos debates, propondo-se a realizar uma avaliação das perspectivas econômicas da reciclagem do lixo sob a ótica social.

   O conhecimento do ganho econômico da sociedade permite contextualizar e medir a participação e o benefício de cada um dos agentes partícipes desse processo. Ficam assim mais claros os interesses em jogo.